PREFEITURA DE PALMAS
PREFEITURA 2

Tratamento da doença mão-pé-boca é ofertado em unidades de saúde de Araguaína

A Secretaria da Saúde de Araguaína orienta sobre o tratamento da síndrome mão-pé-boca, oferecido na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e nas UBS (unidades básicas de saúde), com exceção da UBS José Rezende que atende apenas casos suspeitos da covid-19. Além do tratamento, as equipes da Saúde realizaram palestras e orientações em creches e escolas da rede municipal para alertar sobre a transmissão da doença e os professores ensinarem os pais a lidarem com os sintomas dos filhos.

Para iniciar o tratamento, o caso do paciente precisa ser avaliado por um médico que irá receitar as medicações adequadas de acordo com os sintomas. ”O tratamento vai ser estabelecido conforme o estado clínico do paciente, pois na maioria das vezes a doença é autolimitada, ou seja, os sintomas regridem espontaneamente, após alguns dias”, destacou a médica que atua na Saúde da Família e Comunidade do Município, Bruna Bringel.

A profissional ainda alerta que apesar da doença viral ser benigna, pode causar desidratação. “As lesões ou aftas na boca são dolorosas e o paciente pode ter dificuldade de ingerir alimentos ou líquidos. Por isso, além dos medicamentos para aliviar os sintomas é necessário ingerir sucos naturais, chás e água para manter a hidratação e alimentos pastosos, no caso de dificuldade para engolir”.

Casos


De acordo com a Vigilância Epidemiológica, na primeira semana de dezembro foram registrados 61 casos em sete creches, antes do período de férias das crianças. Um alerta foi emitido pelo Município para orientar quando o surto viral. Recentemente, a enfermeira Amanda Freitas cuidou da sua filha de 2 anos. A Valentina foi infectada pela doença mão-pé-boca depois do contato com outra criança que estava curada dos sintomas, mas ainda transmitia o vírus.

“No primeiro dia, minha filha teve uma febre alta. No dia seguinte, começaram a aparecer caroços que pareciam catapora. Esses caroços foram criando bolhas por todo corpo, procuramos atendimento médico desde o início. Com os medicamentos, levaram cerca de 14 dias para eliminar os caroços, posteriormente ela começou a descamar os pés, que foi o último sintoma”, relatou a mãe da criança, que já se recuperou.

Sintomas


A doença mão-pé-boca é uma infecção viral contagiosa causada pelos enterovírus e geralmente acomete crianças. “Embora também possa ser transmitida para adultos, é mais comum na infância, principalmente antes dos cinco anos de idade — o nome da doença é assim devido às lesões que aparecem nesses locais do corpo e outros sintomas específicos como febre, mal-estar, cansaço, falta de apetite, diarreia e vômitos também podem se manifestar”, explicou a médica.

Transmissão e cuidados
A transmissão ocorre por secreções das vias respiratórias, secreções das feridas das mãos ou dos pés e pelo contato com fezes dos pacientes infectados.

A médica destacou o reforço com a higiene e o distanciamento. “É importante lavar as mãos antes e depois de lidar com a criança doente, principalmente ao levá-la ao banheiro, evitar contato próximo, não compartilhar objetos, além de afastar as pessoas doentes da escola ou trabalho até o desaparecimento dos sintomas, que geralmente duram sete dias após o início dos sintomas”.

Deixe o seu Comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais