PREFEITURA DE PALMAS
SEBRAE 728X90  

Mãe e filhos são resgatados após viver quase duas décadas em cárcere privado no Rio de Janeiro

Os três foram encontrados em casa com desnutrição e desidratação grave.

Uma mulher e dois jovens foram soltos na manhã de ontem (28) por policiais, após viver quase duas décadas presos, em uma casa na zona oeste do Rio de Janeiro.

Ela e os filhos, de 19 e 22 anos, relataram que não viam a luz do sol havia 17 anos. O marido, também pai dos dois jovens, foi preso no local. Os três estavam em um imóvel sem condições dignas de habitação.

Foto: Reprodução/ PMERJ.

De acordo com a PM, que divulgou fotos do local, o chão era de cimento, não havia água encanada, os colchões eram sujos e sem lençol. Os filhos do casal foram encontrados amarrados e, devido ao grave estado de saúde, aparentavam ter idades entre 10 e 12 anos, segundo o capitão da PM William, responsável pelo resgate.

“Chegamos ao local após uma denúncia anônima e nos deparamos com as crianças amarradas. A nossa compreensão na hora era de que se tratava de crianças. O rapaz estava no colo da mulher. Só tivemos ciência da idade quando a gente viu os registros deles”, disse o capitão.

Os documentos dos jovens foram encontrados no imóvel. Devido à situação de saúde debilitada, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, os três apresentavam quadro grave de desnutrição e desidratação. Eles foram encaminhados para o Hospital Municipal Rocha Faria.

Ainda de acordo com o capitão da PM, a mulher chegou a relatar incômodo com a luz do sol, após ser mantida tanto tempo em cárcere privado. Segundo o militar, o homem preso no local informou que era trabalhador e alegou que os filhos eram tinham problemas psicológicos e por isso precisavam ficar amarrados.

“Ele não demonstrou remorso nem arrependimento em momento algum” , disse William. O homem que cometeu o crime tem em torno de 45 a 50 anos. Vizinhos informaram que ele saía cedo, trancava a família dentro de casa e voltava ao anoitecer. Ele era conhecido como “DJ” na vizinhança por colocar som alto com frequência.

O marido e pais das vítimas, que não teve o nome divulgado, foi autuado em flagrante pelos crimes de tortura, cárcere privado e maus-tratos. Procurada, a Polícia Civil informou que a investigação segue em andamento. Ainda não há informação se o suspeito já tinha anotações criminais.

O Conselho Tutelar disse que acompanha o caso há dois anos e que o Ministério Público e polícia foram acionados, mas nada foi feito até então. O Ministério Público ainda não se posicionou sobre o caso.

 

Envie sugestões de pauta ou denúncias para o WhatsApp do Jornal Sou de Palmas: (63) 9 9223-7820

Deixe o seu Comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais