PREFEITURA DE PALMAS
SEBRAE 728X90  

Em Palmas, famílias de 4 pessoas precisam de mais de R$5 mil para custear despesas básicas, aponta pesquisa

O estudo apontou que o valor do salário mínimo não cobre despesas básicas na capital.

Pesquisa realizada no Tocantins revelou que o salário mínimo para custear todas as despesas de uma família de quatro pessoas, como água, luz, moradia, alimentação e transporte, em Palmas, deveria ser mais de R$ 5 mil. O estudo apontou que o valor do salário mínimo – que atualmente é R$ 1.212 – não cobre despesas básicas na capital e que R$ 5.232 é o necessário para que uma família viva com o mínimo de dignidade.

A análise sobre índice inflacionário e salário mínimo realizada em junho de 2022 pelo Escritório Modelo de Gestão e Negócios do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), campus Palmas, em parceria com o Núcleo Aplicado de Estudos e Pesquisas Econômicas (NAEPE).

O economista Autenir Rezende participou da pesquisa e afirma que o salário que a maioria dos palmenses recebe não é suficiente. “A gente identificou a princípio que o custo da cesta básica pra um indivíduo sobreviver por um mês está em R$ 622. Esse custo, quando você considera a família, a sobrevivência familiar, tendo uma família padrão de duas crianças e um casal, essa cesta básica está em torno de R$ 1.800”, disse.

O economista explica que só a cesta básica consome cerca de 56% do salário de um brasileiro. “Se você a partir daí deduzir que uma pessoa não tem só o custo da alimentação para sobreviver, mas tem também energia, água, aluguel, transporte. Você entende que o salário mínimo vigente hoje está muito aquém do mínimo que as pessoas precisariam para sobreviver com dignidade”, afirmou.

Sem o valor ideal, as pessoas se viram como podem. Algumas fazem rendas extras ou tentam economizar A Weslane Cirqueira é professora e para gastar menos trocou o ar-condicionado pelo ventilador. Ela diz que faz uma reserva financeira para não passar apuros com o orcaçento da casa.

“O custo está muito alto em todos os âmbitos. Saúde, medicação está muito cara, gasolina. Às vezes você deixa de ir na casa dos pais. E o mercado está muito alto. Você vai comprar, programa uma receita e tem que mudar porque quando chega lá [no supermercado] você assusta. Há uma mudança muito grande de valores”, disse.

Envie sugestões de pauta ou denúncias para o WhatsApp do Jornal Sou de Palmas: (63) 9 9223-7820

Deixe o seu Comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais