15 de julho de 2024 04:55

Palmas

Casos de dengue caem 51,47% em Palmas nas últimas semanas

Publicados

sobre

Casos de dengue caem 51,47% em Palmas nas últimas semanas
Lia Mara/Secom Palmas
Energisa

Palmas – Entre os dias 12 de maio e 8 de junho, a Secretaria Municipal da Saúde (Semus) observou uma queda significativa no número de casos notificados de dengue. A redução, que se estende pelas últimas quatro semanas epidemiológicas, refere-se aos casos que ainda estão em investigação e aguardam confirmação laboratorial.

Na 20ª semana epidemiológica, de 12 a 18 de maio, foram notificados 338 casos de dengue. Este número caiu para 254 casos na 21ª semana, de 19 a 25 de maio.

A 22ª semana, de 26 de maio a 1º de junho, registrou 195 casos, enquanto a 23ª semana, de 2 a 8 de junho, contabilizou 164 casos. Essa diminuição representa uma queda de aproximadamente 51,47% no período analisado.

Esforços de combate à dengue

A Prefeitura de Palmas tem intensificado os esforços para combater a dengue. Entre as ações, destaca-se o trabalho dos Agentes de Combate a Endemias (ACEs), que visitam diariamente os imóveis da cidade para identificar, remover e tratar criadouros do mosquito Aedes aegypti. Além disso, é realizado um monitoramento entomológico por meio de armadilhas de oviposição (ovitrampas) nos bairros Jardim Taquari e Flamboyant, visando obter indicadores da infestação do vetor. Com base nos resultados mensais, são feitas intervenções nas áreas mais afetadas para reduzir a população do mosquito.

Outro ponto relevante é o Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa). O último levantamento, realizado em maio, mostrou uma redução de 3,1% no Índice de Infestação Predial (IIP) em comparação com o levantamento entomológico de fevereiro deste ano. Segundo relatórios da Unidade de Vigilância e Controle de Zoonoses (UVCZ), entre os dias 6 e 10 de maio, a Capital apresentou um IIP de 0,5%, colocando Palmas em uma situação de baixo risco para epidemias de arboviroses como dengue, zika e chikungunya, conforme os parâmetros do Ministério da Saúde.

Responsabilidade da população

A Semus reforça que o combate ao mosquito Aedes aegypti também é uma responsabilidade da população.

Medidas preventivas incluem não deixar água parada, armazenar garrafas com o gargalo virado para baixo, evitar o uso de pratos nos vasos de plantas, tratar piscinas com cloro e limpá-las semanalmente, e manter tanques de armazenamento de água vedados, especialmente caixas d’água e tambores.

Anúncio

Mais Vistos da Semana