Reprodução/Facebook

A principal recomendação das autoridades de saúde para tentar frear o avanço do coronavírus é não sair de casa. Essa medida é ainda mais importante para quem faz parte dos grupos de risco, como os idosos e pessoas com alguma doença. Pensando nisto, uma corrente do bem tem se formado em Gurupi, no sul do estado, para ajudar quem não pode ou não deve sair nas ruas.

A designer de sobrancelhas Pollyanna Noleto ficou preocupa com os idosos e decidiu usar as redes sociais para se colocar à disposição deles. Ela faz compras e ajudar em qualquer outra tarefa para evitar que os idosos saiam de casa.

“Através do whatsaapp eles fazem o primeiro contato e eu vou até a casa, conforme a necessidade, e procuro servir no que eles estão precisando”, disse.

A postagem dela nas redes viralizou e em poucos dias começou a receber muitos pedidos de ajuda. O objetivo dela foi alcançado com sucesso. “Aqui no Tocantins já tem várias pessoas na mesma ação e eu acho que esse é o propósito maior. Que em todos os lugares a gente possa, de fato, promover uma segurança maior para os nossos idosos”, disse.

Sem saber, a Pollyanna deu início a uma epidemia do bem. É que outras pessoas decidiram seguir o exemplo e ajudar quem precisa. Este é o caso do grupo Corrente do Bem, composto por pessoas que decidiram ampliar o número de voluntários.

“É uma iniciativa para você cuidar de quem está próximo de você: do seu vizinho, de algum idoso que mora na sua rua ou alguém do grupo de risco que você conheça. Que esteja ligando e perguntando o que precisa para a gente levar até ele e não precisar sair de casa”, contou a empresária Érika Cintra.

O grupo também está arrecadando alimentos. “Além desse suporte, nós damos também suporte emocional e estamos fazendo a campanha de arrecadação de alimentos para quem precisa. Estamos à disposição e qualquer coisa entra em contato conosco”, disse a Margarete Ribeiro.

Com informações de G1 Tocantins.

Deixe aqui o seu comentário: