Vereador Iolanda castro.

Em sua fala, durante sessão ordinária desta terça-feira, 14, a vereadora Professora Iolanda Castro (PROS) demonstrou preocupação com os casos da Síndrome de Haff, conhecida como doença da urina preta, associada ao consumo de peixe, que é são investigados em ao menos quatro estados brasileiros.

A parlamentar lembrou que muitos subestimaram a transmissibilidade da Covid-19, no início da pandemia, por se tratar de uma doença oriunda da China e longe do Brasil. ”A piscicultura tocantinense é destaque em nosso país, não podemos deixar essa doença chegar aqui”, destacou.

Doença da urina preta

Casos da Síndrome de Haff, conhecida como doença da urina preta, associada ao consumo de peixe, são investigados em ao menos quatro estados brasileiros. A maioria está concentrada no Amazonas, onde já foram notificadas 61 suspeitas em 10 cidades, mas há registros também na Bahia, no Ceará e no Pará.

No Pará, o caso mais recente envolve um casal que consumiu pescada amarela e apenas a mulher desenvolveu sintomas. Logo no início, a Secretaria Municipal de Saúde de Belém coletou material para análise no laboratório central do estado.

Deixe o seu Comentário