Divulgação

Um empresário foi preso em flagrante suspeito de torturar um funcionário, em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital. Segundo a Polícia Civil, o homem acusou a vítima, de 32 anos, de furtar R$ 8 mil dele. O empregado, que nega as acusações, relatou que foi agredido por cerca de 4h, por pouco não foi eletrocutado, ficou com vários hematomas pelo corpo e até foi ameaçado de morte.

O crime aconteceu no sábado (23), na casa do suspeito, no Jardim Florença. Segundo o boletim de ocorrência, às 15h05, o empresário esteve na delegacia para registrar uma ocorrência de furto contra o empregado. Alegou que o homem confessou ter pego o dinheiro e gastado por completo.

No entanto, às 22h, o empregado é quem foi a delegacia para relatar a sessão de tortura. Narrou que não pegou o dinheiro, mas “porque não suportava mais apanhar”, resolveu confessar.

Diante das lesões sofridas, a polícia entendeu que tratava-se de crime de tortura e foi até a casa dele. Conforme a ocorrência, ele confessou as agressões “com o intuito de fazer a vítima confessar o furto”. Ele foi preso em seguida

Tortura
A vítima, que prefere não se identificar, afirma que na sexta-feira (24), após o expediente, o empresário chamou ele e outro funcionário para conversar.

“Ele disse que tinha sumido R$ 8 mil que estava dentro de uma caixa, na estante da casa dele, e que tinha sido um de nós dois porque tínhamos trabalhado na casa dele na semana passada”, disse.

No entanto, os dois funcionários negaram. No dia seguinte, pela manhã, o homem conta que o patrão apareceu em sua casa e o chamou para ir até a sua casa novamente para conversar. Ele conta que assim que entraram no imóvel começou uma sessão de tortura.

“Assim que passamos para dentro, ele começou a me dar tapa na cara. Dizia: ‘Eu sei que você pegou o dinheiro, você é safado’. Eu neguei. Então começou a dar chute, soco, paulada, golpe com barra de ferro”, contou.

Choque
O trabalhador alega também que o patrão amarrou uma corda em seu pescoço e tentou enforcá-lo. Em seguida, bateu com o objeto nele, mesmo ato cometido com uma mangueira. Como ele sempre negava, o suspeito resolveu intensificar a tortura, com ameaças de choque e morte.

“Ele falava: ‘confessa senão eu vou te matar’. Eu estava quase desmaiado e ele ligou uma torneira e me molhou todo com uma mangueira. Depois pegou dois fios e ligou no padrão de energia da casa dele falando que ia me dar um choque”, conta.

Nesse momento, segundo o empregado, exclusivamente com o intuito de cessar as agressões e um possível choque, ele disse que assumiu ter pego o dinheiro.

A vítima então conta que foi obrigada a se secar, pôr outra roupa e ir até sua casa para pegar o suposto dinheiro. Em sua residência, funcionário voltou a negar o furto.

“Ele então me deu um prazo para eu devolver o dinheiro e foi embora”, conta.

Em seguida, o homem saiu e buscou ajuda do irmão. Eles foram ao IML para a realização do exame de corpo de delito. Logo depois, o caso foi registrado na delegacia. Desde então, está escondido na casa de um amigo com receio de ser procurado por alguém ligado ao empresário.

Deixe aqui o seu comentário: